0

Nos oceanos, tamanho é documento!

Por que alguns mares são mais salgados que outros? Por que a temperatura no Hemisfério Norte varia mais que no Hemisfério Sul? Qual é o oceano mais quente? Tudo isso tem a ver com o formato dos nossos oceanos. Hoje  conversaremos sobre como as dimensões do oceano influenciam em alguns dos processos físicos mais comuns!

featured-image-index.jpg

Ocean Waves. UN DESA.

 

A maior parte da superfície terrestre é coberta por mar, cerca de 71% oceano e 29% continentes. Esses 71% correspondem a um volume de água de aproximadamente 1.360.000 km3 de água. A profundidade média dos oceanos é de 4km e, em relação ao nível do mar, os oceanos possuem maiores diferenças altimétricas do que os continentes. Enquanto somente 11% da superfície terrestre está acima de 2000m, 84% do assoalho oceânico tem profundidade superior a 2000m. As máximas de ambos, no entanto, são similares com a Fossa das Marianas >11.000m e o monte Everest com quase 9000m. Apesar da profundidade média dos oceanos ficar em torno de 4000 m, essa distância vertical é relativamente pequena quando comparada à escala horizontal dos oceanos, que está entre 5000km e 15.000km. O oceano é uma camada bem fina em relação a superfície terrestre e, para sua adequada representação, precisa de exagero da escala vertical. 

A+curva+hipsográfica+Monte+Everest+(8850+metros)+Montanhas.+Altitude+média+dos+continentes+(840+metros)

Relação entre a altitude dos continentes e a profundidade do oceano. Fonte: Reproduzido de Emanuelly Verde.

 

O oceano é “mais alto”, contém um impressionante volume de água e diversas subdivisões e feições topográficas. Como isso influencia nas características físicas dos oceanos?

MARES E DIMENSÕES 

Os oceanos são bacias na superfície sólida da Terra contendo água salgada. As maiores áreas oceânicas são o Oceano Pacífico, o Oceano Índico, o Oceano Atlântico, o Oceano Ártico e o Oceano Austral. Os primeiros 4 são claramente divididos por massas continentais, mas os limites que o Oceano Austral faz ao norte com os outros oceanos são dinâmicos. Ou seja, são determinados somente pelas características das águas e pela circulação. A Corrente Circumpolar Antártica é a corrente principal da Antártica e suas frentes são consideradas como os limites dinâmicos do oceano Austral.  

89965-073-C2BC6F0E

Mapa-mundi com divisões do planeta em hemisférios, oceanos e massas continentais. Encyclopædia Britannica, Inc.

img0

Observe a demarcação do Oceano Austral. Ao contrário dos demais oceanos, demarcação é dinâmica. Nesse caso, ele é demarcado ao norte pela Zona de Convergência Antártica e ao Sul pelo continente Antártico.

 

Além das bacias oceânicas, existem os Mares Marginais. Eles são bacias de água salgada razoavelmente grandes que são conectadas ao oceano aberto por um ou alguns canais estreitos. Os que são conectados por poucos canais são chamados de mares mediterrâneos, em referência ao Mar Mediterrâneo do continente europeu.

→ Mar Mediterrâneo

O Mar Mediterrâneo apresenta um balanço negativo de P-E (precipitação e evaporação), ou seja, menos entrada de água doce (deságue de rios e precipitação) e mais evaporação.

→ Mar Negro

Exemplo de balanço positivo, ele se conecta ao Mar Mediterrâneo.

mediterranean-physical-map

Note como o Mar Negro (Black Sea) se conecta ao Mar Mediterrâneo por um pequena passagem em seu limite sul. Fonte: Free World Maps.

 

O termo mar também é utilizado para porções do oceano que não são divididas por terra, mas tem características oceanográficas locais que as distinguem do seu entorno.

→ Mar da Noruega

O Mar da Noruega se caracteriza pela presença de uma batimetria profunda que “aprisiona” as águas naquela região. Essas bacias profundas podem servir de proxy em estudos, pois a renovação das águas é bastante lenta.

→ Mar do Sargasso

É uma região cercada por correntes oceânicas e que está inserida em um giro anticiclônico. É conhecido pela grande concentração de algas que acaba sendo deslocada para seu interior.

À esquerda, esquema ilustrativo da circulação dominante no Mar do Sargasso (Fonte: Domínio Público). À direita, foto da localidade mostrando a acumulação de algas (Fonte: European Space Agency). 

A forma, a profundidade e a localização geográfica dos oceanos afetam as características gerais de circulação de cada oceano. 

→  Proporção de água para terra em cada hemisfério – HN 1.5:1 / HS 4:1. 

O potencial calorífico da água é muito maior do que o dos continentes, tornando os oceanos um excelente regulador térmico. Ou seja, essa proporção influencia diretamente na amplitude térmica, que por sua vez influencia o gradiente de pressão, que influencia a intensidade dos ventos e que transfere momentum às correntes superficiais. A maior amplitude térmica se dá no HN, por ter menos água.

→ Largura das Bacias

O Atlântico forma um “S” bem marcado no seu centro e o Pacífico possui uma distribuição mais oval o que impacta em como a circulação se ajusta à mudança de fatores que a influenciam. A diferença de largura implica por exemplo, nas características termohalinas (salinidade e temperatura) de cada oceano. O Pacífico, para uma mesma latitude, apresenta regiões (mais extensas) com temperatura superficiais mais altas do que as do Atlântico. Isso acontece porque o Oceano Pacífico é significativamente mais amplo perto do equador do que o Atlântico.

Compare a largura das bacias.  Fonte: CIA – The World Factbook.

 

Mas como exatamente se dá esse processo de aquecimento desigual? A maior parte do aquecimento dos oceanos e exportação de calor tem lugar nas regiões equatoriais, e é importante notar que as águas não são estacionárias. De forma geral, a circulação nos oceanos abertos pode ser descrito como giros anticiclônicos – giros conduzidos pelo vento, no sentido horário no hemisfério Norte e sentido anti-horário no hemisfério sul. Assim, em ambos os oceanos Atlântico e Pacífico, as águas do oceano viajam para o oeste ao longo do equador a cerca de 10-15 cm/s.

O Atlântico tem cerca de 6.500 km de largura na linha do equador, enquanto o Pacífico tem quase 18.000 km de largura. Isto significa que no Atlântico, as águas passam por sua região de maior aquecimento durante cerca de 45 dias, enquanto no Pacífico passam por este aquecimento por cerca de 125 dias antes de serem desviados norte e sul para os giros subtropicais.

Assim, as águas superficiais do Pacífico se submetem a esse aquecimento por quase 3 vezes mais tempo que as águas do Atlântico, resultando em temperaturas de superfície mais elevadas e maior exportação de calor para latitudes mais altas.

→  Volume

O Oceano Pacífico abriga cerca de 49% do volume total dos oceanos, representando mais do que o volume do Atlântico e do Índico somados.

→  Limites latitudinais

Observando o oceano Índico, percebemos que ele não faz parte de nenhuma região polar. A inexistência de regiões frias, impede que se forme água de fundo ou profunda no Índico.

XO-map

Observe o Oceano Índico, área hachurada, não se estende ao sul de 60°S. Fonte: CIA – The World FactbookCIA – The World Factbook

___________________________________________________________________________________________

 

Referências

  1. Lynne D Talley. Descriptive physical oceanography: an introduction. Academic press, 2011.
Anúncios
0

Uma adolescente astronauta

Girls, vamos conversar?! Diz aí qual é o seu maior sonho de vida? Consegue entender o que você precisa fazer para realizá-lo? (Isso já é um mega passo!) E identificar quais são os maiores limitadores? Se você é mulher já deve saber que naturalmente a cultura patriarcal, machista e sexista interfere e molda muitas de nossas vontades, desejos e perspectivas de vida. Ela pode até interferir nos sonhos de meninas e mulheres, a não ser que elas (nós!) se atrevam a ultrapassar essa barreira e lutem pelos seus sonhos mais bravamente que muitos dos meninos por aí. Agarrem a bandeira do feminismo e vamos à luta! Perceba que nem estamos falando aqui de um outro limitador muito agressivo, que é a desigualdade social. Só essa questão traria muitos outros artigos para refletirmos e conversarmos no blog das CsFs.

Vamos falar aqui de uma adolescente e um sonho: ela é Alyssa Carson, uma adolescente norte-americana de 17 anos que nasceu em Hammond, no Louisiana. E seu sonho surgiu aos 3 anos de idade quando assistia um episódio de The Backyardigans onde os personagens faziam uma missão em um planeta que está há 55 milhões de quilômetros de distância da Terra: o planeta Marte!

mars

Imagem do episódio de The Backyardigans visto por Carson aos 3 anos de idade. Créditos: TV TIME.

Pois é, ela quer ser astronauta e realizar uma missão no planeta vermelho! Agora vem a melhor parte da história: Carson já está sendo treinada pela NASA para, possivelmente, ser a primeira mulher a fazer uma expedição em Marte!!! [1]

nasa-marte

Alyssa Carson, a menina astronauta.Créditos: NASA Blueberry.

Com o apoio de sua família, aos 8 anos Carson foi registrada no United States Space Camp. Ela também foi a primeira pessoa a participar dos treinos da NASA na totalidade dos seus Space Camps, já que participou das formações no Space Camp de Laval (no Quebec) e no Space Camp de Esmirna (na Turquia). Alyssa Carson visitou os 14 Centros de Visitantes da NASA nos EUA e por isso foi a primeira pessoa a completar o Passaporte da NASA. A jovem astronauta frequenta a Baton Rouge International High School, onde aprende as disciplinas escolares em 4 línguas: chinês, inglês, francês e espanhol.  E se tornou embaixadora do projeto de vôos privados Mars One, que pretende estabelecer a primeira colônia de humanos em Marte. Teoricamente a NASA não aceita candidaturas de menores de 18 anos para participarem de seu Programa Espacial, porém Carson já se formou na Advanced Possum Academy, visto que sua missão acontecerá em 2030 e, por isso, há muito o que se fazer para sua preparação.

Em sua missão, será responsável com sua equipe por construir os primeiros módulos habitacionais em Marte e iniciar culturas que sustentem os humanos. Além disso, na missão da NASA para Marte em 2014, foram encontradas pequenas esferas no solo com vestígios orgânicos, podendo ser uma pista de vidas que já passaram por lá. Será que há mais vestígios orgânicos em Marte? Alyssa Carson poderá fazer estudos dentro desse tema. [2]

Com todo esse cenário ainda desigual nos dias atuais, podemos olhar para Alyssa Carson e encher o peito para falar que representatividade importa sim! Ver uma menina sonhar e viver a vida para realizar seu sonho precisa ser enfatizado para incentivarmos outras meninas.

O objetivo do compartilhamento dessa história é você abraçar a sua menina hoje e dizer bem firme a ela:

– Você pode ser astronauta, querida!

 

Referências:

[1]https://revistagalileu.globo.com/Ciencia/noticia/2018/07/menina-de-17-anos-pode-ser-primeira-pessoa-pisar-em-marte.html

[2]https://bit2geek.com/2018/07/09/blueberry-alyssa-carson/