Nuvens de Júpiter ou pinturas de Van Gogh?

No início de 2019, a sonda Juno conseguiu capturar mais fotos jovianas de tirar o fôlego. A sonda Juno enviada à Júpiter em 2011 pela NASA tem como missão fornecer informações sobre o campo gravitacional e o campo magnético do planeta, além de ajudar os cientistas a compreenderem um pouco mais sobre sua composição interna (mais informações aqui).

Além de conter todos os aparatos científicos necessários para completar sua missão principal, a nave também é equipada com sensores e câmeras (apelidadas de JunoCam), que desde de 2016, quando a sonda entrou na órbita de Júpiter, vem nos fornecendo imagens de tirar o fôlego.

Essas fotos são possíveis somente devido à proximidade que a sonda consegue chegar do planeta. Isso é inédito, uma vez que as outras sondas que visitaram Júpiter fizeram observações muito distantes na tentativa de evitar a intensa radiação causada pelas partículas do Sol que ficam presas no campo magnético de Júpiter. Juno, por sua vez, foi criada para se esquivar dessa radiação, voando abaixo dos principais cinturões de radiação. 

Em 2017, quando a NASA liberou os primeiros resultados da missão Juno, as fotos já eram deslumbrantes. 

Jupiter.jpeg

Créditos: NASA/JPL-CALTECH/SWRI/MSSS/BETSY ASHER HALL/GERVASIO ROBLES.

Nessa foto, podemos ver o polo sul de Júpiter recoberto por ciclones (estruturas ovais no centro da imagem). Alguns desses ciclones podem chegar até 1.400 quilômetros de diâmetro!! Fazendo um paralelo, a nossa lua tem aproximadamente 3.400 quilômetros de diâmetros, então é como se os maiores ciclones de Júpiter fossem equivalente à metade do tamanho da nossa lua!!

Já recentemente, na primeira metade de 2019, quando os cientistas achavam que Júpiter não poderia mais nos surpreender, a sonda surge com mais fotos incríveis que mais parecem ter saído das telas de Van Gogh.

Jupiter.jpgCréditos: NASA/JPL-Caltech/SwRI/MSSS/Kevin M. Gill

Essa imagem, de cor aperfeiçoada, criada com a ajuda do cientista Kevin M. Gill, foi obtida em 12 de fevereiro de 2019, quando a sonda realizou seu 18º voo ao redor do gigante gasoso. Na imagem conseguimos ver uma formação arredondada (em marrom), que se acredita ser um sistema complexo de ciclones, rodeada de nuvens turbulentas (em azul e branco).

Além das incríveis fotos, Juno já forneceu informações inéditas que se tornaram grandes descobertas científicas sobre o campo magnético do planeta e suas espetaculares auroras. A missão tem rendido tantas fotos e informações sobre o enigmático gigante gasoso que sua permanência na órbita de Júpiter já foi aprovada pela NASA para até pelo menos 2022.

 

Referências:

https://www.nasa.gov/image-feature/jpl/dramatic-jupiter

https://www.missionjuno.swri.edu/junocam/processing?id=6529

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s